Peça Carolina Maria de Jesus, Diário de Bitita

A atriz Andréia Ribeiro interpreta a escritora Carolina Maria de Jesus na peça
“Carolina Maria de Jesus, Diário de Bitita”, que está em sua quinta temporada
e reestreia no dia 1º de novembro no Teatro Glaucio Gil, em Copacabana. O
espetáculo é uma adaptação das obras “Quarto de Despejo” e “Diário de Bitita”
da escritora mineira. Trata-se de uma história verídica, surpreendente e
inspiradora de uma mulher pobre, com apenas dois anos de estudo, que virou
um dos ícones da literatura brasileira e mundial. Carolina foi catadora de papel
e escreveu toda sua obra em papéis que encontrava no lixo. Reciclando
materiais deu um novo significado a sua própria trajetória e a si mesma.
A encenação, que tem a direção de Ramon Botelho e contribuição textual de
Gabriela Caladinho, segue o fluxo de memória de Carolina, refazendo sua
infância miserável em Sacramento, no  interior de Minas Gerais, quando a
chamavam de Bitita, até o lançamento do seu primeiro livro – com enorme
sucesso.
Para a atriz Andréia Ribeiro, poder falar de Carolina de Jesus com tanta
verdade é uma forma de mostrar ao mundo a importância do conhecimento e
de se ter voz em todas as classes sociais. ‘’Existem milhares de Carolinas
silenciadas e sem oportunidades neste Brasil. O desinteresse e a manutenção
da invisibilidade dessas pessoas são assustadores”, desabafa a atriz Andréia
Ribeiro;
Ela acrescenta: “Aprendo com Carolina todos os dias. Desde aquela época já
denunciava a fome, a miséria, a desigualdade social, o racismo e o machismo.
Quando falo suas palavras a sensação que eu tenho é que eu já conhecia esta
mulher, foi um encontro ancestral. O contato com essa obra me remete à
minha avó Dolores e minha mãe Marisete, mulheres guerreiras como Carolina.
Ela entendeu muito nova que seu maior patrimônio era o seu conhecimento”,
conclui. 
Vale ressaltar que as obras de Carolina são conhecidas em todo o mundo e
deram origem a centenas de teses acadêmicas, sites, documentários,

especiais de TV, HQ, exposições, blocos de carnaval e peças teatrais. Carolina
virou nome de rua, assim como creches, escolas e museus em todo país.
Carolina foi incluída na Antologia de Escritoras Negras de Nova York, no
Dicionário Mundial de Mulheres Notáveis de Lisboa e no livro
“Extraordinárias Mulheres que Revolucionaram o Brasil”, que escolheu,
dentre todas as brasileiras, 44 mulheres que impactaram a nossa história. E
seu livro “Quarto de Despejo” foi o sétimo mais vendido no site Estante Virtual,
no ano de 2017 e foi incluído na lista de leitura obrigatória nos vestibulares da
UFRGS e UNICAMP.
O espetáculo poderá ser visto até o dia 25 de novembro, sempre sextas e
sábados às 21 horas e domingos e segundas às 20h. Classificação 14 anos.

SERVIÇO
LOCAL: Teatro Glaucio Gil – ESPAÇO DA SECRETARIA DE ESTADO DE
CULTURA E ECONOMIA CRIATIVA/ FUNARJ.
ENDEREÇO: Praça Cardeal Arcoverde s/n - Copacabana
BILHETERIA: (21) 2332-7904
PELA INTERNET: www.ingressorapido.com.br
TEMPORADA: de 01/11 a 25/11/2019
HORÁRIO: Sexta e sábado – 21h // domingo e segunda 20h
INGRESSOS: R$40,00 (inteira) e R$20,00 (meia-entrada)
FAIXA ETÁRIA: 14 anos
GÊNERO: Drama
DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 1 hora

FICHA TÉCNICA:
Realização: Casa Forte Produções Culturais e Esportivas e

Rotunda e Bambolina Produções Artísticas
Produção: Andréia Ribeiro, Gabriela Buono Calainho e Ramon Botelho
Adaptação do texto, direção artística e cenário: Ramon Botelho
Interpretação: Andréia Ribeiro
Assistente de Direção e contribuição textual: Gabriela Buono Calainho
Iluminação: Paulo Cesar Medeiros
Trilha Original: Marco Lyrio
Figurinos: Wagner Louza
Programação visual: Rafael Paschoal
Suporte de produção: Mario Cezar Ribeiro Soares
Produção de áudio: Toty Colonna
Costureira: Railda Lima
Adereços: Sinhá Recicla (ONG Uberlândia/ MG)
Visagismo: Sidnei Oliveira
Fotografia: Dalton Valério E Luis Teixeira Mendes
Cenotécnico: Rostand Albuquerque (Galpão 6centos)
Operador de luz: Gabriel Gomes
Operador de som: Salomão Waisman
Contrarregra: Thiago Gouveia