SAMBA DA FEIRA LANÇA CONCURSO EM SHOW DE RENATO DA ROCINHA

SAMBA DA FEIRA LANÇA CONCURSO EM SHOW DE RENATO DA ROCINHA
É a segunda edição do A Voz da Feira, que abre inscrições neste sábado, 1º de fevereiro
Samba da Feira – que, há mais de três anos, oferece shows gratuitos para milhares de pessoas, todo sábado, das 16h às 23h, nos Armazéns do Engenhão, no Engenho de Dentro – lança a segunda edição do concurso A Voz da Feira neste 1º de fevereiro¸ quando a atração é o cantor Renato da Rocinha. As inscrições poderão ser feitas no local, entre 15h e 18h. O concurso – que está de volta graças aos inúmeros pedidos do público e, desta vez, é direcionado apenas para grupos – vai começar no dia 14 de março.

Com dez anos de estrada na música, mais de 750 mil visualizações em seu canal do YouTube e mais de 90 mil seguidores do Instagram, Renato da Rocinha promete animar a plateia com sucessos como “Mora lá” e “Castelo de um quarto só”, que ganhou o troféu “Melhores de 2019”, entregue pela Band, na categoria “Música do Ano”. Vale lembrar que “Castelo de um quarto só” (Vinicius Santa Fé) foi a música que mais impactou os ouvintes da rádio FM O DIA, com 157.433.237 impactos em dez meses de 2019. Essa marca foi aferida pelo FM O DIA Charts, sistema exclusivo da rádio que mensura impacto de músicas veiculadas na emissora, cruzando dados com resultados de audiência divulgados pelo Kantar Ibope Media.


O Samba da Feira – evento pelo qual já passaram mais de 500 mil pessoas – tem um grupo de músicos fixo no evento. É o grupo Seligaê, que era a banda base dos shows do cantor e compositor Arlindo Cruz. Com a batucada de primeira como característica, o Seligaê é formado por Tico Santos (repique de mão e voz), Fábio Miudinho (pandeiro e voz), Edir Lins (tantã), Flávio Miúdo (surdo e voz), Leandro Luna (violão e voz) e Betão (reco-reco e voz). O grupo tem CD produzido por Wilson Prateado, com músicas inéditas e duas faixas com pot-pourris de regravações.

Sobre Renato da Rocinha
Nascido e criado na favela da Rocinha, Renato da Rocinha chegou ao mundo do samba mostrando a que veio. Compositor e dono de uma voz que nos faz lembrar os antigos e inesquecíveis intérpretes do gênero, tem a música como parte da sua vida desde muito pequeno. Aos seis anos de idade já frequentava as rodas de samba e pagodes da cidade levado por seu pai, também sambista e idealizador das tradicionais rodas de samba da Rocinha, comunidade onde nasceu, cresceu e mora.
O primeiro CD, “Qualquer lugar”, foi lançado em agosto de 2010, com um belo show no Teatro Rival, no Rio de Janeiro. O espetáculo contou com a colaboração de músicos do grupo Galocantô, das rodas de samba da Tia Doca, Tia Ciça, Beco do Rato e da Pedra do Sal, com direção artística de Lula Matos, que também assinou a produção musical do CD e do show de lançamento. Com participação especial de integrantes da Velha Guarda e da Bateria da Acadêmicos da Rocinha, o álbum foi selecionado para indicação ao Prêmio da Música Brasileira de 2011 em duas categorias: melhor álbum de Samba e melhor cantor. Entre sambas inéditos e quatro regravações, um dos destaques do CD “Qualquer lugar” foi “Rocinha”, de João Nogueira e Paulo César Pinheiro.
Em 2014, lançou “Moleque bom”, em que mostra seu talento como compositor em faixas autorais. Renato da Rocinha tem também em seu currículo shows ao lado de baluartes do samba, como Monarco e Wilson Moreira, além de outros mestres como Almir Guineto.
Com participações em vários programas de TV – entre eles o “Sem Censura”, Renato também participou do Camarote do Samba com Carlinhos de Jesus, no programa Samba Social Clube da Rádio MPB FM.
Ano passado, lançou "Renato da Rocinha 10 anos (ao vivo)", com sambas dele em parceria com craques como o saudoso Reinaldo, que também participou da gravação, e Arlindinho, filho de Arlindo Cruz.

Sobre o concurso
O concurso A Voz da Feira visa a dar oportunidade a novos grupos do segmento do samba/pagode. Como a primeira edição foi voltada para intérpretes, a segunda será apenas para grupos, que devem se inscrever neste sábado, dia 1º de fevereiro, entre 15h e 18h, lá mesmo no Samba da Feira, nos Armazéns do Engenhão. Para participar, basta ter material de trabalho atualizado, que poderá ser enviado via WhatsApp ou apresentado por link do YouTube no momento da inscrição.
Serão selecionados 25 grupos, que vão se apresentar em cinco eliminatórias no próprio Samba da Feira, a partir de 14 de março. Em cada eliminatória, três de cinco grupos passarão para as próximas fases. Serão, portanto, cinco apresentações por sábado. Cada grupo terá, no máximo, 15 minutos para se apresentar. Aquele que estourar esse tempo será desclassificado.
Os grupos terão de se apresentar seguindo o rider de palco do grupo Seligaê, banda-base de todas as apresentações do Samba da Feira, com cavaquinho/violão (baixo opcional), pandeiro, repique, reco-reco (opcional), surdo ou tantã de marcação, tantã de corte e até quatro vozes.
Haverá premiação para os três primeiros colocados. O grupo vencedor ganhará troféu, R$ 1.000, apresentação no programa “Ao Vivo” da Rádio FM O DIA, gravação no canal do Samba da Feira no YouTube e camisas #usehastegclub. O segundo lugar receberá troféu, R$ 500,  gravação no canal  do  Samba da Feira no YouTube e camisas #usehastegclub. E o grupo que ficar na terceira colocação ganhará troféu, gravação no canal do Samba da Feira no YouTube e camisas #usehastegclub.
O concurso A Voz da Feira tem parcerias de marketing com Rádio FM O Dia, produdora B3lfilms, O pagodeiro, Canal Leandro Britto, Página Pagonejando e Camisas #usehastegclub.
A primeira edição do concurso A Voz da Feira foi em 2018, com seleção feita pelos organizadores do evento, convidados especiais e pelo próprio público. A vencedora foi a cantora Paula Prince, de Piedade.
A grande final contará com júri formado por grandes artistas do mundo do samba e do pagode e será no dia 11 de abril de 2020 .

Sobre o Samba da Feira
Tudo começou na casa do administrador de empresas Mario Castilho, na rua Teresa Cavalcante, em Piedade. Todo sábado, dia de feira na rua, ele costumava acordar cedo, preparar uns camarões, chamar os amigos e ouvir um bom samba no quintal, enquanto acompanhava o movimento da feira. Teve, então, a ideia de comprar um barril de chope e deixar as portas da garagem abertas para quem quisesse parar e curtir o samba. Surgia, assim, o Samba da Feira, que estreou no dia 14 de maio de 2016. O barril logo virou vários, tiveram de providenciar espaço para os barraqueiros e para a galera que só aumentava a cada sábado. Não demorou para o samba, que ia das 10h às 16h, virar febre e atrair público do bairro e das adjacências.
O evento cresceu muito, e vieram os problemas: reclamações de vizinhos por causa do barulho, reclamações dos feirantes... Então, Mario e os amigos foram conversar com o administrador regional da XIII R.A. e receberam a oferta de fazer a roda nos Armazéns do Engenhão, localizados na parte externa do Estádio Nilton Santos. E foi lá que o Samba da Feira passou a acontecer todo sábado, a partir do dia 3 de dezembro de 2016. “Quando fomos para Engenhão, nossa preocupação era não perder a essência do SAMBA DA FEIRA”, explica Mario Castilho. Eles conseguiram. O samba segue firme e forte.

Ainda no quintal, o Samba da Feira já recebia artistas, mas foi nos Armazéns do Engenhão que o evento passou a convidar sambistas de peso. O primeiro foi Toninho Geraes. Para bancar o cachê, os amigos se arriscaram e correram atrás na divulgação: usaram mídias sociais, firmaram parceria com emissora de rádio, e, de lá para cá, o samba se propagou. Toninho Geraes abriu porta para Xande de Pilares, que elogiou o evento em seus stories, no Instagram, e pronto!

O Samba da Feira firmou-se como grande evento e passou a atrair outros grandes artistas como Alcione, Belo, Jorge Aragão, Mumuzinho, Fundo de Quintal, Mart’nália, Diogo Nogueira, Leci Brandão , Grupo Molejo, Maria Rita, Bebeto, Dudu Nobre, Monarco, Revelação, Chininha & Príncipe, Xande de Pilares, Swing & Simpatia, Pixote, Reinaldo, Galocantô, Marquynhos Sensação, Tiee, Bom Gosto, Arlindinho, Pique Novo, Sombrinha, Gustavo Lins, Netinho de Paula, Ronaldinho e muitos outros.
Em três anos, mais de 500 mil pessoas já passaram pelo Samba da Feira. Ao vivo e a cores, é sempre uma multidão que prestigia o evento. E os números não são só uma questão de público. São 200 pessoas trabalhando diretamente com o Samba da Feira, única diversão gratuita do Engenho de Dentro e dos bairros próximos, que gera trabalho interno para 30 pessoas – entre garçons, seguranças e pessoal de limpeza –, assim como alavanca as vendas dos comerciantes entorno do Engenhão.
Nas redes sociais, o Samba da Feira (@sambadafeirarj) também é sucesso. O número de seguidores não para de crescer. São mais de 97 mil seguidores no Facebook, 54,7 mil no Instagram e 30,5 mil no canal do YouTube.

Serviço
Samba da Feira com Renato da Rocinha
Sábado 1º de fevereiro, das 16h às 23h
Armazéns do Engenhão
Praça do Trem s/nº, ao lado do estádio Nilton Santos, em frente à estação de trem do Engenho de Dentro
Entrada gratuita
Classificação livre
Inscrições para o concurso A Voz da Feira – das 15h às 18h.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.