VEM AÍ DRAGSTAR 2020 NO TEATRO RIVAL REFIT!

As seletivas do badaladíssimo concurso de Drag Queens começam no dia 13 de Janeiro

Foto:Divulgação/Assessoria


Inspirado no formato de reality shows como The Voice, XFactor e American Idol, DRAG STAR” é um concurso de talentos carioca para drags de todos os estilos e tempo de carreira. Em shows mensais e com a ajuda de suas mentoras, as competidoras precisam provar ao público e ao júri quem é a drag mais completa e merecedora do título de RAINHA DRAG STAR RIO DE JANEIRO”.

O show é apresentado pela carismática Miami Pink, persona drag de Auri Alencar, acompanhada por um time de quatro drags renomadas na cidade na posição de juradas-madrinhas.

Em sua quarta temporada (de janeiro a junho de 2020), “DRAG STAR” conta com Andreia Andrews, Karina Karão, Ravena Creole e Samara Rios no corpo de júri e como mentoras para as candidatas ao título. Vale destacar que a diversidade de estilos visuais e performáticos das juradas dentro da arte drag é essencial para o concurso, pois dá oportunidade para que as candidatas selecionadas se desenvolvam e cresçam com apoio na linha com que mais se identificam.

Iniciamos as temporadas com inscrições via redes sociais, formamos um comitê de pessoas relevantes na comunidade drag, para que sejam pré-selecionadas as concorrentes. Ressaltando que a escolha é baseada na variedade de estilos drags, na pluralidade de corpos, raça, gênero e sexualidade, pois temos como missão enaltecer e valorizar não só a arte drag, mas também toda a diversidade num espaço seguro de resistência para toda comunidade LGBTQIA+ e amigos. Nessa temporada, temos 36 drag queens de diferentes estilos e tempos de carreira pré-selecionadas para participar das seletivas.



Na primeira edição de cada temporada, a pré-selecionada mostra todo seu potencial, a fim de ser adotada por uma das madrinhas. Com a orientação delas, força de vontade, garra e determinação, as selecionadas poderão passar para as próximas etapas do concurso:

Foto:Divulgação/Assessoria

Avaliatórias – jurados e público avaliam com notas de zero a dez cada participante; batalhas – um dos estilos mais comuns de performance e shows drags, uma disputa em duplas, em que as performers dublam contra a outra para entreter o público; eliminatórias – três últimas edições, nas quais as concorrentes ao título têm a oportunidade de mostrar toda sua evolução artística, pessoal e profissional, para se tornar a grande ganhadora.

Com objetivo principal de difundir a arte drag para o público, Miami Pink e as juradas fazem questão de humanizar todos que passam pelo palco do “DRAG STAR”, mostrando que, por trás de todo o glamour das drag queens, existem corpos diversos, com representatividades variadas. Os participantes expressam-se livremente em suas performances, com o cuidado e o atendimento diferenciado por parte dos organizadores.

Com temporadas que possuem duração semestral em shows mensais, o “DRAG STAR”, que inicia agora sua quarta temporada, contou com aproximadamente 150 drags participantes. Mais de cinco mil pessoas já passaram pela plateia, esgotando os ingressos na maioria de suas edições.

“Infelizmente, não existe um censo mapeando a quantidade de artistas drags no Rio de Janeiro, porém criamos uma rede com mais de 300 artistas na capital, além de muitos conhecidos no interior do estado, sabendo que esse número representa uma pequena parte dos artistas existentes. O Rio possui pouquíssimas casas para apresentação desse ramo de trabalho. É nesse contexto que o ‘DRAG STAR’ busca fomentar, expandir e promover a arte drag, ocupando espaços históricos, acabando com a segregação e o preconceito ainda existentes para essa classe artística; criando redes de apoio, de cultura e de troca de conhecimentos; dando oportunidades a novos talentos, para todos os envolvidos e o público em geral; promovendo registros para posteridade; e contribuindo para a história da arte na cidade”, empolga-se Miami Pink.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem