Por João Luciano: https://jluciano442.blogspot.com/


 Em tempos de COVID – 19, hoje no dia das mães, não está sendo nada fácil. Dias difíceis e de muitas incertezas. Um verdadeiro clima de tristezas e que assola o Brasil e o mundo. Muitos filhos estariam comemorando com suas mães este dia tão importante. No entanto dada as circunstâncias de isolamento social necessário, instituído no mundo, esta data jamais será a mesma, e talvez  sele, a importância da união de todos como nunca visto em toda a história. Trata-se de um marco internacional de reflexão sobre o sentido da vida e a importância de estarmos pertos uns dos outros depois que tudo isto passar. O atual cenário, a bem da verdade,  mostra como que nos últimos anos, o ser humano ignorou o convívio mais estreito e os afagos mais intensos em razão da correria, das redes sociais e do movimento capitalista. Nesta data de destaque para o dia das mães que, como sempre digo, são todos os dias espero que todos reflitamos sobre o sentido da vida, mas sobretudo na mudança de atitudes que precisa haver quando tudo isso acabar! A dor da solidão corrói o coração de tanta gente!! Ao contrário de muitas pessoas, existem tantas outras que não possuem família, mãe e perderam tudo. Observo a pronúncia da palavra família e penso ser muito pertinente, mas precisamos adentrar aos contextos mais dolorosos e estender o ombro aos que estão com os seus corações sangrando.  Falo com propriedade, pois perdi há muitos anos, toda a minha família. Nunca me vi como vítima, mas como o protagonista da minha história. É, a meu ver, muito importante falar sobre isso, pois existe muita gente com alguma dor. Hoje, procuro todos os dias, ser cada vez mais empático, com o próximo. Leiam a matéria que publiquei no ano de 2013, in memoriam da minha saudosa mãe-avó: Brasilina Maria de Jesus Costa. Segue o link: https://jluciano442.blogspot.com/2013/05/dia-das-maes_12.html Imagem: menina-voadora.blogspot.com. Assista abaixo, uma linda homenagem do cantor Anderson Freire para as mamães!


   A hashtag: “#fique em casa”, incomodou e incomoda a todos, mas no momento é o único e inteligente caminho para que juntos consigamos superar esta terrível pandemia. Não se trata do que gostamos e queremos, mas sim o fundamental sentimento e desejo de manutenção da vida no planeta terra. A existência se vê ameaçada por conta de um vírus desconhecido e sem cura até o momento. Um vírus que se alastrou e tem se alastrado de maneira aterradora. O momento é de absoluta consternação pelas vítimas fatais desta pandemia e de muita atenção. Desta feita, reitero: FIQUE EM CASA! Muitos talvez se perguntem: ficar em casa ou morrer lutando. Ficar em casa é uma luta lúcida e fundamental, haja visto, que o ir para as ruas lutar contra algo invisível e sem cura no momento é uma atitude louca e sem precedentes. Pois é, mas na contramão de tudo que tempos visto, muitos estão indo para as ruas, ignorando literalmente tudo. Alguns por não querer acreditar, outros por ignorância. Só sei que, vidas estão sendo perdidas e espero que estas pessoas que estão se arriscando não sofram ou entendam isso da pior maneira possível. A realidade para alguns só é sentida quando o caos bate à porta. A dor do outro nem sempre é o suficiente para que entendamos. Falar dos dias das mães, sem frisar estas questões seria um devaneio. O amor a mãe é um sentimento materializado por meio de atitudes coerentes com o que se diz, e não apenas um discurso em verso e prosa. Até porque, as palavras são levadas pelo tempo. O que fica é o que foi e está sendo feito na prática. Nem sempre, o dizer: "eu te amo", revela amor verdadeiro. Ouvir é bom e deve feito, mas com a máxima observação as práticas. Ser mãe é algo sublime e incapaz de que consigamos traduzir ou descrever em palavras a altura. O dia de hoje, dia das mães, nunca será esquecido. Certamente, será uma das datas ninguém gostaria de estar vivendo. Vale frisar, que muitos neste momento não possuem uma mãe viva, uma família. Muita gente é só. Aos que perderam as suas mães, familiares etc, fica o meu sentimento e pedido a Deus, independente de religião, de muita força para todos! Nunca o caos vencerá a fé. Logo, não deixei de acreditar em dias melhores.  

   Falar em cuidados, com a finalidade da preservação da segurança e da vida também é amor. Um dos fundamentos do amor reside na genuína preocupação e cuidados com próximo, e dentro deste contexto estão as mamães de todo o Brasil e do mundo!!!




João Luciano