Mulheres Respondem Por 70% Das Menções Sobre Impactos Psicológicos Durante A Pandemia

 Mulheres Respondem Por 70% Das Menções Sobre Impactos Psicológicos Durante A Pandemia

Mulheres representam maioria dos internautas preocupados com saúde mental 


(Divulgação)


A pesquisa "Um olhar digital sobre saúde mental e o trabalho", uma parceria entre a Decode e Kronberg, identificou as principais tendências em buscas sobre saúde mental desde o início do isolamento social no Brasil e, dentre os achados, encontrou o público feminino como o principal interessado em assuntos relacionados ao tema.

Além disso, segundo a OMS, para cada homem com depressão, duas mulheres sofrem com a doença. Fato reiterado pelo estudo da Decode e Kronberg, que constatou que as mulheres são mais propensas a procurar informações e ajuda profissional, enquanto os homens são mais resistentes e comumente negam os sintomas de transtornos psicológicos. Os motivos que afetam a saúde mental do público feminino são a dupla jornada de trabalho, mudanças hormonais e a maternidade, principalmente com os impactos na vida profissional.




Produzido com o objetivo de contribuir para o entendimento 
sobre os impactos da crise do coronavírus no trabalho e 
na vida das pessoas, o estudo traz dados que 
mostram que o interesse dos brasileiros pelo tema 
alcançou índices recordes nestes meses de pandemia. 
Alguns outros destaques:

• No Twitter, 44% dos internautas demonstraram 
preferência pelo home office. Conforto, horário flexível 
e segurança foram alguns tópicos citados para exaltar 
o trabalho à distância.

• Em 2020, o anúncio de trabalho remoto cresceu 545% 
em relação a 2018/19, impulsionando também o 
crescimento das plataformas de recrutamento e para 
reuniões online.

• Cerca de 75% dos trabalhadores relataram dores após a 
adoção do home office, enquanto vídeos sobre 
ergonomia no trabalho foram os mais procurados no 
YouTube no mesmo período.

A pesquisa também aborda os motivos pelos quais 
as buscas relacionadas ao assunto aumentaram 
neste período, mostrando a preocupação dos 
internautas com a saúde mental na quarentena. 
Termos como "ansiedade" atingiu o pico de buscas 
dos últimos cinco anos e ajudou na popularização 
da chamada "Síndrome de Burnout".

O CEO do Grupo Kronberg, Carlos Aldan, explica 
que estamos sofrendo com a perda antecipatória, aquele 
sentimento de incerteza sobre o que o futuro nos 
reserva, inclusive porque a pandemia modificou a forma 
de trabalhar. "O trabalho é uma atividade que não 
se restringe somente ao ganha-pão, mas que define, de 
certa forma, a identidade, a autoestima e inúmeras 
crenças das pessoas a respeito do papel do trabalho em 
suas vidas. O distanciamento social, embora 
necessário e inicialmente percebido com algumas 
vantagens, ao longo do tempo exacerba o medo 
continuado e o pânico causados pelo vírus", analisa.

Metodologia

A pesquisa coletou os dados por meio do mapeamento 
de ambiente digitais e palavras-chave relacionadas ao 
universo do trabalho, carreira e aos impactos da 
pandemia no mundo profissional e no aspecto 
psicológico das pessoas durante o período de 20 de 
agosto de 2018 e 20 de agosto de 2020. O método 
partiu da análise manual de uma amostra do universo 
de menções, que garantiu um nível de confiança de 
95% e 5% de margem de erro.

De acordo com Lucas Fontelles, Head de Consumer 
Insights da Decode, na pesquisa por amostragem, o 
exercício do pesquisador é justamente o de criar uma 
amostra que ‘espelhe’ o universo geral. "É importante ter 
em vista, é claro, os limites do fenômeno de 
digitalização da população no Brasil. Apesar disso, ao 
trabalharmos com um volume grande e diverso de dados 
do digital, cada vez mais é possível espelhar a 
realidade brasileira para conhecer os hábitos, 
preocupações e necessidades da população. Isso se 
torna ainda mais relevante neste momento de 
pandemia, em que diversas atividades migraram para 
o ambiente digital", observa.

Sobre o Grupo Kronberg

A Kronberg é uma consultoria, com mais de 18 anos 
no mercado, focada em programas customizados, 
que utilizam ferramentas validadas cientificamente 
para que profissionais de liderança, linha de frente 
e vendas se desenvolvam e prosperem em um ambiente 
altamente volátil e complexo no mundo de negócios, 
tendo como base dos programas a Ciência da Inteligência 
Emocional, Ciência da Positividade e Neurociência do 
Aprendizado. Entre seus clientes estão empresas 
como Siemens, Honda, Rede Ímpar de Hospitais, 
Ofner, Alelo, Ri Happy, Agaxtur, grupo Brookfield, 
Vitacon, Delta Airlines e Accor Hotels, entre outros.


Sobre a Decode

A Decode é uma empresa de data analytics e client 
acquisition specialist do BTG Pactual, criada em 
fevereiro de 2019. Por meio de um ecossistema de coleta 
e análise de dado de mais de 30 ambientes online, 
desenvolve produtos e serviços para compreender 
fenômenos sociais e o comportamento do consumidor, 
com objetivo de elaborar soluções de negócios orientadas 
por dados para maximização de receita, no ambiente 
digital. Já realizou estudos para empresas e 
organizações como: Fórum Brasileiro de Segurança 
Pública, Instituto Avon, BHB Food, Vallya.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem