Dia Mundial das Comunicações Sociais e os desafios do cotidiano

   

                             
                                  Foto: reprodução e ilustração da internet

  O papel do jornalista é base “sene qua non” para que a sociedade possa ter o pleno exercício da democracia e do dever cívico. Contudo, falar da importância da atividade da imprensa também requer que nós façamos uma densa análise da realidade atual.

Realidade 

   No Brasil, o exercício da profissão de jornalista vive um momento muito tenso marcado por ataques e agressões verbais a jornalistas por parte Governo Federal, que não tem respeitado os profissionais de imprensa. Com isso o jornalista tem sido tolhido de levar com plenitude a informação, pois temos um, presidente com ares de ditador, que sequer responde a imprensa a não ser que lhe seja conveniente. Isto é inaceitável, pois vivemos em um Estado Democrático de Direito, onde a nossa profissão é salvaguardada pela liberdade de expressão, liberdade de imprensa, dentre outros direitos que são estabelecidos pela Constituição Federal nos artigos 220°224° e  incisos, IV, V, X, XIII e XIV no tocante a informação. Sei que existe uma parte das empresas da grande mídia que manipula a informação e trabalham de forma tendenciosa, mas isto eu, particularmente, já combato no dia a dia.

   Todavia, se não bastasse, temos assistido o Brasil ser exposto a cenas vexatórias perante a opinião pública e a comunidade internacional. O governo brasileiro, sem generalizar, não dá a imprensa o espaço que lhe é devido, a tratando com indiferença e, absoluto, desrespeito. Não aceito e repúdio, independente de partido, pois não tenho partido, as atitudes do Presidente da República: Jair Messias Bolsonaro. Um presidente que tripudia no uso de suas atribuições do povo brasileiro, do povo de Manaus que agoniza por falta de oxigênio, pela ineficácia de seu governo, indiferença, total desumanidade e deboche. O povo de Manaus viu e tem visto seus filhos morrerem agonizados pela covid – 19 e pela falta, pasme os senhores (as), de oxigênio! A imprensa quando denuncia os fatos de um presidente boçal, que vai a mídia para desmoralizar nosso país por meio de um discurso mal engendrado, sem preparo, e que além de tudo é truculento nas relações com os outros países, demonstrando total despreparo diplomático é vergonhoso e isto me enoja. Reitero, tenho nojo e revolta deste governo que nos expõe. Não sabe ouvir, não sabe falar, dissemina o ódio, o não uso de máscaras, é contraditório e terceiriza a sua incompetência aos outros.

Da Importância 

  A difusão da informação e o fomento da igualdade dependem indiscutivelmente, da imprensa. É inegável que em tempos de pandemia, a imprensa tenha e esteja tendo um trabalho impecável na disseminação da conscientização do uso de máscaras, álcool em gel, e no combate a desinformação que ganhou vulto com a aceleração do avanço tecnológico e o aumento das chamadas “fake news”. A segurança nas redes depende de um esforço conjunto entre a imprensa e a sociedade.

Educação midiática 

 Diante do uso cada vez maior das redes sociais e de crimes cibernéticos, ficou absolutamente, necessário que o tema educação midiática seja amplamente debatido por todos, sobretudo no ambiente escolar para crianças e adolescentes.

Finalizando

Sem mais, um país justo, igualitário e com menos corrupção depende do trabalho incansável e destemido da imprensa que precisa ser isenta em todos os seus veículos. Infelizmente, muito ainda precisa ser feito. Entretanto, estamos aqui para cobrar e fazer valer a nossa constituição. Feliz dia da comunicação social a todas e todos os jornalistas do Brasil e do mundo!!!


Instagram: @joaocostaooficial


João Costa

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem