Jorge Lordello fala sobre sua carreira e tira dúvidas sobre segurança na internet em entrevista exclusiva

     

                                        Foto: Jorge Lordello

 Jorge Lordello é Palestrante, Escritor Internacional, Especialista em Segurança Empresarial e Condominial, Apresentador e Comentarista de TV .                 

 Diante de tanta violência na internet e inseguranças, que eu entrevistei com exclusividade, Jorge Lordello, que é pioneiro no Brasil em ministrar palestras para executivos e demais colaboradores de empresas, mostrando que é possível reduzir a quase zero, o risco de uma pessoa ser vítima da violência urbana por meio da prevenção e de atitudes seguras, no dia a dia. Na oportunidade, Lordello fala sobre sua carreira, seu programa na “REDETVOperação de Risco", dentre outros assuntos.  Instagram: Jorge Lordello Dr. Segurança ou You Tube: Não Caia Na Roubada


Carreira  


    Jorge Lordello ressaltou, no início de sua fala, que durante mais de 20 anos atuou como Delegado de Polícia no Estado de São Paulo. Segundo Lordello, seu trabalho é, sobretudo prevencionista no sentido de ser proativo em desvendar crimes através da entrevista de vítimas e bandidos, o que o tornou uma referência em segurança no Brasil.  

  Lordello acrescentou ainda, que a prevenção e segurança são fundamentais em um país relativista. “É elementar ser proativo na prevenção à violência antes que ela ocorra”, explicou.   


Desafios à frente do programa: “Operação de Risco” da RedeTV 

 

    Na avaliação de Lordello, o programa: “Operação de Risco” é um fenômeno de audiência no Brasil. De acordo com o especialista, o seu programa disputa o terceiro lugar no ibope.  


   Para Lordello, a missão do programa: “Operação de Risco” é mostrar o trabalho realizado por todas as forças policiais. Para ele, o programa é de altíssima relevância, pois fomenta o esclarecimento da população  e  o reconhecimento dos policiais.  


    Ele acrescenta ainda que, o esclarecimento da população faz com que o cidadão tenha mais confiança nas instituições policiais, o que é de absoluta utilidade pública, porque promove a valorização do policial e o caráter instrutivo de orientar as pessoas, a fim de que se minimizem os riscos da violência urbana e prepara o cidadão para lidar  com leis como: “Lei Maria da Penha, dentre outras”, afirmou.  


   Segundo Lordello, os policias dizem que o número de inscritos nos concursos para ingresso na policia aumentaram, significativamente, após o programa: "Operação de Risco". Para Lordello, o programa tem um nítido papel de estimular também, o jovem, a ingressar na carreira de policia. 


    Com a pandemia tivemos a aceleração do uso das redes sociais. Como se proteger no uso de Instagram, Facebook, Whatsapp e outros? 


     Segundo Lordello, curiosamente, houve a abordagem de questões ligadas à segurança nas redes, no programa: “Operação de risco”, e que foram verificados crimes cibernéticos. “Os autores dos crimes nas redes sociais, são na sua maioria, jovens, declarou”, Lordello.  


   De acordo com ele, na prática, hoje no Brasil, temos mais crimes digitais do que os crimes reais. “No entanto, pelo fato de os criminosos se valerem de perfis falsos, fica difícil encontrá-los e, portanto, puni-los, o que gera uma subnotificação nos registros oficiais declarou”, Lordello.  


    Ele enfatiza a importância da prevenção no plano real e no das plataformas digitais, pois há golpes no internet bank e no tocante a todos os segmentos online. "Ser proativo é quando o indivíduo toma uma atitude antes do problema afirmou", Lordello. 

 

   Na avaliação de Lordello, os golpes são inteligentes e exigem que as pessoas se previnam.  


Identificação e denúncia 


   Para Lordello é fundamental investigar os perfis que oferecem algo no Instagram como, por exemplo, os perfis que possuem milhares de seguidores e comentários positivos. Uma dica é que os usuários das redes sociais pesquisem no Google, não leve em conta a quantidade de seguidores e comentários positivos em relação ao perfil suspeito.  “Ao identificar um perfil falso, a pessoa deve fazer um registro de ocorrência”, concluiu. 

 

 Instagram@joaocostaooficial


João Costa  


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem