CIRCUITO MUSICAL


Por Joacles Costa


LÉO DAYÓ  É O CANTOR  QUE SE ENCAIXA EM VÁRIOS ESTILOS. 

Foto/Marcos Paulo fotografia 

''SOU A MÚSICA''  Esta frase foi uma expressão que usei para dizer que gosto de muitos estilos musicais. Ela abrange os vários estilos dos quais me identifico. Léo Dayó


Leandro Cardoso atende pelo nome artístico de Léo Dayó. Nasceu em São Paulo no dia Vinte e seis de Setembro de 1990, mais precisamente no Belenzinho, situado na região central do município de São Paulo. Léo é formado em Logística e atualmente mora em Guarulhos - São Paulo.  A infância do cantor foi bem instruída, pois nunca faltou muito amor e carinho dos pais.   Mesmo não tendo muitas regalias na infância; a boa educação foi a base de tudo, sendo uma prioridade para enfrentar as batalhas da vida e muita força para alcançar os objetivos desejados.


 Entrevista com Léo Dayó

Joacles Costa: O que você quis dizer na frase ''SOU A MÚSICA''  e que tipo de sentimento seus fãs encontrarão nela? 

Léo Dayó:  Esta frase foi uma expressão que usei para dizer que gosto de muitos estilos musicais.  Ela abrange os vários estilos dos quais me identifico. Tais como: O Sertanejo, Samba e hoje acho que adéquo mais dentro do meio Pop. Os fãs encontram os melhores sentimentos dentro dela e nas músicas .

Foto/Márcia Penha fotografia 

Joacles Costa: Como é o seu processo criação? 

Léo Dayó: Bem. O meu processo de criação é repentino.  Uso como exemplo, aminha  música intitulada Simples Assim que é uma das formas favoritas que utilizo para dizer o que sinto.  Esta canção me veio de um jeito muito rápido.  Eu lembro que a escrevi na mesa da sala, enquanto assistia televisão. De repente comecei a tocá-la e ela tornou-se uma realidade.  Entretanto, o meu processo de criação, na maioria vezes, tem como sequência a melodia primeiro e depois a letra.


 Joacles Costa: Quais as suas referências musicais?

Léo Dayó:  Minhas referências são as muitas bandas que marcaram várias gerações e sempre são lembradas até hoje, como Legião Urbana, Barão Vermelho, Cazuza, dentre muitas outras.   Atualmente, gosto muito de Victor Kley e  Iza.

Foto/Márcia Penha fotografia 

Joacles Costa:  Como veio a vontade de entrar para o mundo musical? cantar? 

Léo Dayó:  Meu pai sempre viu uma potência em mim.  Ele me incentivava a seguir carreira dentro deste ramo da musical, tanto como instrumentista e/ou cantor.   Depois de um certo tempo, me veio a vontade de dar este orgulho a ele; foi quando resolvi me aprofundar nos estudos musicais; comecei a gostar disso e segui em frente. Participei de uma banda, porém, com o término dela, preferi dar continuidade  em carreira solo.


Joacles: Você pensa na hora de compor uma música, que ela ficaria boa na voz de algum artista específico?

Léo Dayó: Penso sim. Inclusive tenho uma canção chamada ''Desabafo'' que eu gostaria muito fosse gravada na voz de Marília Mendonça.  Claro que esta gravação seria junto com ela, pois, me considero um pouco ciumento com minhas obras (Risos).


Foto/Márcia Penha fotografia 

Joacles: Cada vez mais vários artistas tem utilizado a campanha do financiamento coletivo para a produção de seus projetos. Como você vê o crescimento do mercado musical independente?

Léo Dayó:  Eu mesmo já fiz algumas parcerias para lançar clipes das minhas músicas. Acho válido e bem interessantes estes métodos. Quanto ao crescimento do mercado musical, na minha opinião, os iniciantes são menos valorizados.  Já os ''grandões'' faturam muito, infelizmente .


Joacles Costa: Qual o seu projeto atual?

Léo Dayó: No momento estou trabalhando na música Altas Ondas que é uma composição do meu amigo e parceiro Thiago Barbozza.  Estamos divulgando a música e ela já está sendo bastante tocada, os ouvintes estão gostando muito.


Foto/Márcia Penha fotografia 

Joacles Costa: Para encerrar, quais são as suas inspirações  para compor? 

Léo Dayó:  Em primeiro lugar, acho que todo artista deve ser verdadeiro e cantar apenas o que sente.  Entendo que devemos expor as nossas histórias, vividas num universo paralelo existente apenas em nosso subconsciente, verídicas ou não.  Quando acreditamos naquilo que falamos, o resultado é ainda mais satisfatório.    E em segundo, mas não menos importante, temos a fé.  Sem ela, a fé, nada disso será ouvido ou visto por milhares de pessoas algum dia, para apreciarem  nosso trabalho árduo.


Contatos:

MP3:    https://www.palcomp3.com.br/thiagobarbozza/altas-ondas/

Instagram:  www.instagram.com/leodayooficial/

 YouTube:    https://www.youtube.com/channel/UCCSOVkyUvBTb5tWIJEn253A

Produtor : (11) 96449-9725 - Omar Silva

Assessoria de Imprensa: (27) Joacles Costa 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem