Otite No Verão: 5 Dicas Para Curtir A Época Do Ano Mais Quente Sem Complicação

  Otite No Verão: 5 Dicas Para Curtir A Época Do Ano Mais Quente Sem Complicação

 Especialista explica como prevenir as infecções para aproveitar a estação mais quente do ano sem uma das doenças que surgem a partir de piscinas e águas impróprias para banho



(Divulgação)

 

No verão, começam as preocupações com o ouvido. Aquela sensação de entupimento volta a incomodar, que pode vir acompanhada de dor constante. Tudo isso porque a chegada dessa estação do ano traz consigo as otites externas – uma inflamação, geralmente bacteriana, da pele do canal auditivo externo – que aumentam significativamente nesse período do ano pelo contato com a água, seja ela de mar, piscina ou de rio.

 

De acordo com o Dr. Luiz Patrial Netto, otorrinolaringologista do Hospital IPO, algumas atitudes simples, se aplicadas no dia a dia, podem prevenir as otites e consequências irreversíveis no futuro. Veja abaixo 5 dicas para curtir o verão sem se preocupar com problemas no ouvido:

 

Limpe corretamente os ouvidos

 

Para prevenir infecções, a limpeza adequada deve ser feita com um pano ou uma toalha úmida somente até onde o dedo alcança. “O uso de hastes flexíveis dentro do ouvido traumatiza a pele do conduto auditivo e aumenta a incidência de infecção”, completa o especialista.

 

Não frequente águas impróprias para banho

 

As chances de contato com águas contaminadas aumentam no verão, assim como os casos de otites. As bactérias alojadas em ambientes poluídos podem causar as temidas infecções. Então, evitar águas impróprias para banho, seja água do mar, rio ou piscina, é fundamental para prevenir doenças no aparelho auditivo.

 

Quem tem infecção recorrente, evite o contato de água no ouvido

 

Pessoas que já têm infecção recorrente ou uma inflamação de ouvido de repetição não devem molhar o ouvido. Em mergulhos, piscinas ou qualquer situação em que a água entre em contato com os ouvidos, é essencial a utilização de protetores auriculares apropriados. “Existem modelos de silicone ou o próprio paciente pode fazer uma bolinha de algodão com algum óleo, para evitar que a água entre dentro do ouvido”, indica o dr. Netto.

 

Fique atento aos sintomas 

 

“Geralmente, o principal sintoma relacionado à otite externa é a dor, que pode começar leve e tende a ter uma piora progressiva até ficar com uma dor que o paciente não consegue encostar a mão no local”, explica o otorrinolaringologista. Porém, sensação de entupimento, zumbido e presença de secreção no ouvido também podem ser sinais de infecção. Com a presença de sintomas como esses, é recomendável evitar o contato da água com a região, tomando cuidados específicos em piscinas, mares e até mesmo na hora do banho.

 

Procure um especialista 

 

Se não for tratada, a otite pode causar infecções graves e também acarretar na perda irreversível da audição. Por isso, é essencial procurar um especialista para definir o melhor tratamento para cada caso. “O tratamento consiste em analgésicos, anti-inflamatórios orais e antibiótico tópico através das gotas otológicas”. Nos casos em que a infecção é mais grave, é necessário fazer o uso de antibiótico oral também”, explica o especialista. “No entanto, é importante que, antes de iniciar qualquer tipo de tratamento, o paciente procure um otorrinolaringologista”.

 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem