A idade é um problema para as autoras brasileiras?

  A idade é um problema para as autoras brasileiras?

Índice de autoras brasileiras com mais de 40 anos cresce no mercado editorial

(Divulgação)

O Grupo Editorial Coerência levantou uma pesquisa interna e apontou que, dos autores da casa, 39% são mulheres acima de 40 anos. A porcentagem é bastante favorável ao mercado editorial e aquece antigas discussões entre aqueles que defendem a interferência na idade de quem escreve, na qual muitos apontam a falta de vivência de autores jovens e a possível desconexão com as atuais técnicas de escrita de autores não tão jovens.

De fato, essa foi uma pauta levantada há alguns anos em vários grupos de literatura, mas até os dias de hoje existem leitores e escritores que apontam a idade de um artista como contribuição ou empecilho.

“Penso que a idade de um autor tem muito a contribuir com suas obras. Um escritor mais vivido e experiente terá muito mais coisas interessantes a contar”, relata Léa Michaan, autora de "Maly". Para ela, o tempo foi bastante favorável no amadurecimento do seu universo literário, assim, com os anos conseguiu adquirir mais confiança para compartilhar suas narrativas com o mundo.

Por outro lado, a escritora Telma Brites, da trilogia "Gaia", afirma que não é a idade que “faz sua obra ser boa ou não". E ressalta:

“Na minha opinião, tem muitos autores jovens que escrevem para um público de adultos, e tem muitas pessoas adultas acima dos 40 que escrevem para um público jovem, que é o meu caso.”

Telma Brites mora há mais de 30 anos na Europa e chama a atenção dos leitores no Brasil, sua trilogia foi lançada pelo Grupo Editorial Coerência no final do ano passado e conquista o público-alvo, o qual ela informou ser jovem.

Diferente das duas artistas, a escritora e biomédica Vanessa Guimarães acredita que a idade não é um empecilho para escrever uma boa história, mas sim, ter tempo para focar na escrita.

“As dificuldades que encontrei aos 45 foram relacionadas a conciliação de trabalho, filhos e escrita. Isso sim é mais complicado. Acredito que um escritor jovem tenha mais tempo para se dedicar à sua obra.”, informou em entrevista.

A artista lançou “Beijo de Borboleta” em novembro do ano passado pelo Grupo Editorial Coerência e já venceu uma premiação literária como Melhor Suspense em 2020.

Enquanto o mercado editorial trabalha incansavelmente para divulgar jovens autores, leitores buscam por outras histórias em escritores mais velhos, que ao contrário do que muitos pensam pensam, contam lições de vida dentro de seus manuscritos.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem