De empreendedor a dono

  De empreendedor a dono

Como delegar funções na empresa e ter qualidade de vida?


(Divulgação)


Quem nunca teve o devaneio de ter um negócio para chamar de seu, que atire a primeira pedra! O que esses sonhadores não sabem é que a maioria dos empreendedores passam pelo tempo de estresse no trabalho, por não conseguirem distribuir as tarefas entre os colaboradores, para assim, terem mais tempo com a família e períodos sabáticos.

Entre confeitarias, academias, lanchonetes, lojas de roupa, sapatarias, salões de beleza etc, o Sebrae afirma que o Brasil tem hoje 53,4 milhões de empreendedores. Segundo o Portal do Empreendedor, só em 2020 foram inscritos aproximadamente 2,6 milhões de MEIs (Microempreendedores Individuais) no país, sendo quase o dobro do ano anterior. O crescimento gradual de novos microempresários se dá devido à crise econômica instaurada no país, por conta do Novo Coronavírus.

É comum as pessoas iniciarem o negócio sem um preparo correto. Por necessidade, acabam investindo todas as economias na empresa, sacrificando o tempo livre por trabalharem dia e noite no estabelecimento. Valéria Bax é empresária há mais de 30 anos, ela conta que começou empreendendo com a primeira empresa há 32 anos e a segunda, há 4 anos, ambas permanecem vivas e frutíferas até hoje. Sobre o segredo desse sucesso? Confiar e delegar obrigações aos seus colaboradores.

“As empresas dão sim, muito trabalho. Mas dão muita alegria, dão o sustento das minhas famílias e de muitas outras. Perto de 500 famílias. E posso te dizer que não faço nada sozinha. Trabalho com 6 homens. Sim. Em uma com pai e 3 irmãos, na outra com marido e filho”, explica a empresária.

O chefe é aquele que manda, não confia e não faz o funcionário crescer. O líder é aquele que distribui funções, entende as necessidades e qualidades do outro e trabalha dentro desse contexto, faz a sua empresa e funcionários crescerem e evoluírem juntos. De acordo com Valéria, é importante se colocar no lugar do outro, ter empatia pelo que as pessoas são.

Para a empreendedora, “se colocar no lugar do outro não é tarefa fácil. E sabe porque não é fácil? Porque não somos o outro e temos anseios diferentes, expectativas diferentes, nosso tempo e lugar é diferente do outro. Nós temos perfis diferentes de comportamento”.

Ela ainda ressalta com um exemplo que uma pessoa com perfil de chefe costuma agir: “na empresa, você briga com a outra área que não te entregou um serviço ou produto no tempo e horário que estava estipulado. A pessoa está lá correndo porque pode ter tido um acidente e alguma peça não chegou a tempo. Você reclama somente que não recebeu o que devia e não se coloca no lugar dela. E às vezes, alguém está atrapalhando também um processo (sem querer, claro), mas você só reclama e não se coloca no lugar do outro para tentar ajudar a encontrar uma solução!”

“E assim, vamos criando conflitos na nossa vida, porque se colocar no lugar do outro não é fácil. A gente imagina que como num passe de mágica, um dia o outro vai mudar e não se coloca no lugar do outro. Se colocar no lugar do outro é um exercício para a tolerância. E quando entendemos sobre comportamentos, o nosso nível de tolerância aumenta consideravelmente! Uma forma de aprender é ler livros sobre comportamento, ver vídeos no Youtube e participar de cursos e treinamentos a esse respeito”, aconselha.

Maternidade e negócio

A maternidade é de fato uma dádiva na vida de quem é mãe. Ao abrir um empreendimento, algumas mulheres se questionam sobre como os filhos irão se sentir, se conseguirão seguir a rotina sem elas durante boa parte do tempo, entre outros questionamentos. Conciliar o trabalho com a vida materna é de fato desafiador e mais do que necessário, é indispensável.  

Cada mãe tem seu horário, seu perfil, suas necessidades e os filhos também. Para isso, é essencial que se crie um planejamento e uma rotina, entre cuidar da organização, ter tempo com a família, descansar, estudar etc, seja cumprida. Além disso, é imprescindível que a mãe tenha um tempo consigo mesma para colocar as emoções em ordem e renovar as forças diárias. “Nesse tempo onde o nosso olhar deve estar voltado para o coletivo, a mãe é o maior exemplo de cuidado que o mundo precisa ter como inspiração”, elucida a empresária e também, mãe.


Fonte: Valéria Bax, empresária com mais de 30 anos de carreira, conselheira no ramo alimentício, máster coach e sócia fundadora do Instituto Evex, em Belo Horizonte (@institutoevex e @valeria.bax).

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem