MAIO AMARELO – Respeito e Responsabilidade para não ser mais um na fila dos atendimentos.

 

                                   Foto/divulgação 

Por Dr. Marcio Rogério Renzo

 

A campanha “Maio Amarelo” surgiu devido a necessidade de chamar a atenção da sociedade para os altos índices de acidentes de trânsito e a quantidade de vítimas remanescentes, que geralmente carregam sequelas para o resto de suas vidas, quando não as ceifam prematuramente. A Campanha deste ano tem o enfoque no “Respeito e responsabilidade: pratique no trânsito”. Somente no último ano, segundo números do Corpo de Bombeiros, foram atendidas 72.555 ocorrências de acidentes de trânsito com vítimas no Estado de São Paulo, com 997 óbitos e outras 79.088 vítimas com algum grau de lesões.

Esses números por si já são assustadores, segundo a OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde) cerca de 1,35 milhão de pessoas perdem a vida todos os anos, atingindo a faixa de jovens e crianças (5 a 29 anos) e entre 20 e 50 milhões de pessoas vem a sofrer lesões, muitas delas gerando incapacidade permanente. É a terceira causa de morte no Brasil.

Os acidentes no trânsito provocam prejuízos economicamente consideráveis para os acidentados, suas famílias e países como um todo. Os acidentes geram várias despesas relacionadas aos tratamentos (incluindo reabilitação e investigação do acidente), bem como da redução e perda de produtividade. Os acidentes de trânsito custam à maioria dos países cerca de 3% do seu produto interno bruto (PIB).

Outro fator importante em se destacar, que durante a pandemia houve uma intensificação do trabalho de entregas por motoboys e esta forma de transporte é a mais afetada, respondendo por cerca de 70% dos acidentes e os com maiores índices de lesões graves.

Infelizmente as principais causas dos acidentes são de origem humana. A falta de atenção ao trânsito (principalmente devido ao uso de celulares), a ingestão de bebidas alcoólicas, uso de drogas ilícitas, excesso de velocidade, ultrapassagens proibidas e a desobediência à sinalização são as principais causas apontadas.

Como a fisioterapia intervêm nesses casos?

Os acidentes não fatais geralmente necessitam de grandes intervenções, cirúrgicas e ambulatoriais, que demandam grande número de profissionais de saúde das mais diversas áreas por períodos prolongados, como é o caso do fisioterapeuta que atua durante todo o período de internação e se estende por vários meses e até anos, após a alta hospitalar.

Geralmente os pacientes de traumas oriundos de acidentes de trânsito geram maiores preocupações, pois trazem uma complexidade maior ao tratamento. Esses pacientes quando trazem sequelas neurológicas, além das grandes alterações ortopédicas, demandam do fisioterapeuta uma atuação sistêmica, pois todo o organismo está afetado. São problemas dermatológicos (escaras), gastrointestinais e pélvicos (incontinências e constipações), respiratórios (pneumonias) que complicam ainda mais o quadro. Os longos períodos de internações e reclusões aos leitos são as principais preocupações dos profissionais de fisioterapia, pois além das lesões causadas diretamente pelo acidente, o fisioterapeuta ainda deve atentar-se para que as áreas não afetadas diretamente não percam suas funcionalidades.

Como é o tratamento?

No tratamento fisioterápico são utilizadas várias técnicas, equipamentos e exercícios com a finalidade de diminuir os processos inflamatórios e dolorosos, e:

- Melhorar a cicatrização das lesões;

- Reduzir os encurtamentos e aderências musculares do membro afetado e das demais áreas do nosso corpo;

- Aumentar a força muscular;

- Melhorar a amplitude de movimentos das articulações e diminuir o risco de aderências;

- Melhorar o controle postural, equilíbrio e a marcha do paciente;

- Evitar que os pacientes tenham problemas respiratórios pela imobilidade;

- Prevenir a formação de úlceras de pressão (escaras) e, quando formadas, tratá-las antes que mais enfermidades oportunistas ataquem o paciente.

É importante destacar que, o quanto antes se iniciar o tratamento fisioterápico, melhores serão as possibilidades de que o quadro geral do paciente evolua bem e de forma mais rápida.

Portanto, ao dirigirem veículos automotores tenham os devidos cuidados. Se for dirigir, não beba. Evite fazer uso de celular, enquanto dirigir. Respeite a vida!

Respeito e Responsabilidade: pratique no trânsito!

 

 

 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem